Cozinha do Alcysio: ervilhas etíopes, um tempero na quarentena

Como um bom entediado na quarentena, decidi que ia passar mais tempo na cozinha. Além de ter minhas próprias ideias, tenho que acatar os pedidos da casa e agradar as que moram comigo nesse período. Até que me pediram sopa de ervilha. Eu gosto de ervilha, mas detesto sopa. 

Sopa é a morte da textura: você come dez vezes mais do que queria porque aquilo não te enche. É um inferno.

Então, fui procurar receitas de ervilha na internet. ERA TUDO SOPA!

Confira outras receitas do Alcysio em nosso YouTube.

Até achei uns bolinhos para fritar, mas fritura dá muito trabalho para limpar e, apesar de ter tempo, não tenho a paciência necessária. Até que eu esbarrei numa receitinha etíope. 

Nunca comi comida etíope, mas, ao ler a receita, vi que a técnica parecia muito com comida indiana, com a qual tenho mais intimidade. Valia a pena tentar trazer Mulatu Astatke para almoçar comigo.

Leia também:
Na crise do coronavírus, Bolsonaro recorre ao que faz de melhor: falar merda
Economia ou saúde? Uma falsa questão

Pitadinha histórica: o comércio entre o chifre da África e o subcontinente  indiano foi muito intenso entre os séculos X e XIV e as culinárias dos dois lugares acabaram se influenciando bastante nesse período. É esse nodo comercial que permite a expansão do islã tanto para a costa leste da África, na atual Tanzânia, quanto para o subcontinente indiano, lar de mais de 400 milhões de muçulmanos (Bangladesh, Paquistão e Índia).

Vamos à receita:

O primeiro passo é deixar 250g de ervilha partida, aquela seca, de molho por ao menos 12h. Isso vai acelerar bastante o tempo de cozimento e possibilitar que façamos toda a receita em menos de meia hora.

Depois, é só colocar suas ervilhas e a água residual numa panela com uns 500ml de água, colocar uma pitada de sal e deixar ferver. Não tampe a panela, pois ervilha tem bastante proteína e vai transbordar aquela espuma branca, parecido com o que acontece com macarrão.

Nesse meio tempo, é hora de preparar os outros quatro ingredientes da receita. Primeiro, descasque uns 100g de gengibre. Não use faca pois gengibre tem pele fina e é muito mais fácil remover com uma colher, além de evitar desperdício.

Agora, você tem duas opções aqui, caro leitor. Pode colocar esse gengibre num processador de alimentos junto com uns 15 dentes de alho e fazer um purê dos dois, ou você pode fazer o que eu fiz : fatiar o gengibre grande e amassá-lo para que ele solte seus líquidos e fazer uma pasta de alho na faca, cortando super fino, adicionando sal e macerando por uns 3 minutinhos.

Optei por isso por não gostar muito da textura do gengibre nas coisas e por não ter um processador de alimentos. A vantagem do purê é que você pode fazer um monte e guardar para outras receitas, muita coisa fica boa com alho e gengibre (até cachaça).

Corte uma cebola grande em cubos e comece um refogado com ela em uma segunda panela. Adicione um pouco de sal para ajudar a cebola a suar e cozinhe até ficar translúcida. Quando ela estiver já bem cozida, adicione boas duas colheres de sopa do purê de gengibre e alho ou dois polegares de gengibre e uns 6 dentes de alho macerados.

Quando o gengibre e o alho estiverem exalando sua exuberante fragrância, adicione uma colher de sobremesa de cúrcuma, popularmente conhecido como açafrão-da-terra. Ele vai absorver muito líquido da sua panela, então faça tudo a partir de agora em fogo baixo para nada queimar.

A essa altura do campeonato, as suas ervilhas já devem estar cozidas e o líquido na panela deve estar baixo, o que é perfeito. Transfira o refogado para a panela das ervilhas, deixe todo mundo se conhecer por uns 3 a 5 minutos em fogo baixo e seu ater kik está pronto!

Ele fica muito bem com uma pimentinha e um azeite. Agora, é só comer ao som de um ethio-jazz, é claro.

3 comentários em “Cozinha do Alcysio: ervilhas etíopes, um tempero na quarentena

  • Pingback: Cozinha do Alcysio: ervilhas etíopes, um tempero na quarentena | Ponto E

  • 12 de maio de 2020 em 08:17
    Permalink

    Fiz ontem a receita.
    Sou bem fã de comidas de outros países e confesso que é um conjunto de sabores que é difícil de explicar. A união da cúrcuma com gengibre e alho é uma explosão de sabores!
    Muito bom esse tópico de comidas, Alcysio!
    Ervilhas etíopes aprovadas!

    Resposta
  • 25 de junho de 2020 em 13:32
    Permalink

    Que maravilha. Ótimas dicas do Alcysio. A ervilha ficou excelente e o jazz é fantástico!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest