Bolsonarista, o próximo esquerdista é você!

Desde que o neofascismo ascendeu no Brasil, se aproveitando e vitaminando o antipetismo/antiesquerdismo estacionado no PSDB e se incorporando em Jair Bolsonaro e seus bolsominions, é comum qualquer pessoa que discorde e combata uma linha sequer dessa ordem imposta ser “acusada” de ser comunista.

Num tom mais amplo da mistura de ideias que ocupa o imaginário popular, a acusação vai para ser “petista” e “esquerdista” mas o cerne é o mesmo: a velha tática nazifascista de invalidar o debate de ideologias – que no mundo utópico do ‘isentonismo’, deveria servir para equilibrar a balança, mas que no mundo real do capitalismo só serve para diminuir o rombo causado pelo capital – e quase que criminalizar (às vezes, sem o quase) os que lutam por justiça social e igualdade.

Desde o fim da Guerra Fria, e talvez até durante ela, é provável que o ódio aos ideais de esquerda nunca tenha sido tão grande como agora no Brasil.

Bolsonaro e o bolsonarismo, claro, não estão inventando nada quando olham para o outro, qualquer outro, que discorde de seus impropérios e os coloque ao lado da esquerda. Só estão se inspirando em seus antecessores, principalmente, na Alemanha e na Itália de quase 100 anos atrás.

Na mídia

Se não vejamos: a Rede Globo, conglomerado de comunicação sócio da Lava Jato e cujo jornalismo denuncista serviu para trucidar a imagem do PT e da política institucional (e, portanto, para ajudar a levar o neofascismo tupiniquim ao Planalto), é “denunciada” pela horda de beócios: esquerdista!

Vale para a não menos sócia do neoliberalismo no campo da comunicação, o jornal Folha de São Paulo, que ganhou a alcunha tão criativa quanto inconcebível de “Foice de São Paulo”, dada pelo bolsominions robôs e reais.

Leia também:
Chacina em favela não é política pública
Brasil de Bolsonaro, a república do Reizinho

No poder

E não para por aí: parece bizarro como tudo neste Brasil 2019, mas até agentes comprovadamente catalizadores do bolsonarismo não escaparam. Deltan Dallagnol, o procurador playboy ganancioso cujo claro objetivo foi destruir o Lula e o PT (e, quem sabe, a república), foi chamado de “esquerdista ao estilo PSOL” por partidários do governo, como o inqualificável líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), o que foi referendado pela página do próprio Bolsonaro no Facebook – talvez gerida pelo vereador federal Carluxo em seus momentos de folga da Câmara dos Vereadores do Rio (ou seja, o dia todo, todo dia).

No mundo

Como se tudo nessa distopia sádica que a gente vive fosse pouco, ao entrar em rota de colisão com o presidente da França, Emmanuel Macron, Jair Bolsonaro, numa caricatura de si mesmo, saiu-se com essa para todo mundo ouvir: “Essa inverdade do Macron ganhou força porque ele é de esquerda e eu sou de centro-direita. Deixo bem claro isso daí para vocês”.

Isso mesmo: o banqueiro Macron, um quadro que advoga pelo neoliberalismo sem qualquer vergonha, é de esquerda, na visão turva de Bolsonaro e seus bolsominions.

Ressalvas à parte, Macron esteve para o socialista Hollande como Joaquim Levy para Dilma (Crédito: AFP)

O último e o próximo

O “último esquerdista” apontado pela farândola de lunáticos é o sub-procurador Augusto Aras. Para esses analfabetos políticos, Aras é de esquerda porque, ao que parece, esteve alinhado em algum momento com os governos petistas. Ora, o que dirão os bolsominions quando descobrirem que figuras centrais da teocracia miliciana que governa o país, como Silas Malafaia e Edir Macedo, também foram alinhados ao petismo em certos momentos? O oportunismo, afinal, não foi completamente alijado neste governo ideológico como inocentes imaginariam – pelo contrário, os oportunistas, mais do que nunca conseguiram suas boquinhas.

A coisa fica pior porque Aras foi indicado pelo próprio Jair Bolsonaro por fora da lista tríplice do Ministério Público (como fez FHC em 2001) para ser procurador-geral da República. Ao que consta, Aras foi nome apresentado a Jair pelo famigerado Alberto Fraga (DEM-DF), delegado e deputado federal notório artífice da Bancada da Bala no Congresso. E se declara conservador e contra “ideologia de gênero” e a criminalização da homofobia. Mais esquerdista que isso, impossível!

Se um homem indicado por Jair Bolsonaro e abençoado por Alberto Fraga, bem como um banqueiro francês e um procurador-chefe da operação que golpeou Dilma e prendeu Lula sem provas são de esquerda, tenho um recado, meu caro bolsonarista: o próximo comunista é você.

A partir de R$ 2 mensais, você colabora com a produção de mais conteúdo nas plataformas do Lado B do Rio. Seja Padrim e conheça as metas e benefícios.

Um comentário em “Bolsonarista, o próximo esquerdista é você!

  • 12 de setembro de 2019 em 17:45
    Permalink

    Oi Caio, muito bem pensado o texto, e é muito verdade isso, mas as vezes eu sinto que esse tipo de coisa acontece na esquerda progressista também. Participo de vários grupos de esquerda nas redes sociais e sinto uma desunião tremenda entre nós. Já gente falando que Marina Silva é de direita, que Ciro Gomes é fascista, até a Manu, já vi gente do nosso lado chamando de fascista, os últimos que ví foram Marcelo Freixo ser chamado de direita por conversar com o Kim Kataguiri e fazer um debate para o quebrando Tabu com a Janaína Paschoal, e a Samia Bomfim também, ví a galera massacrando ela pelo mesmo motivo. Eu tenho a impressão que boa parte do eleitorado não tá nem aí para a democracia, tanto o eleitor o eleitor mais fervoroso do Bolsonaro, quanto o eleitor mais fervoroso do PCO, todos querem o fim da democracia, posso exagerar em algum ponto aqui, posso estar errado, mas tá difícil conversar na internet hoje em dia, mesmo entre aqueles do mesmo campo político.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest