Bolsonaro, genocida e corrupto

Ontem fomos dormir com mais uma bomba estourando. Bolsonaro, aquele que se elegeu dizendo ser “antissistema”, acabou de sofrer mais uma acusação que envolve seu governo em corrupção. E, vejam bem, não é qualquer escândalo de corrupção. Estamos falando de dois esquemas aparentemente bilionários, um da Covaxin e outro da AstraZeneca. E pior: corrupção no meio de uma pandemia, envolvendo diretamente a vida e a morte do povo brasileiro. 

Agora, uma coisa que ninguém poderá dizer, é que está surpreso ou surpresa com o envolvimento (direto ou indireto) de Jail Bolsonaro com corrupção. Pode ser chocante pela forma e proporção dos escândalos, mas surpresa não é. Reproduzo aqui um tweet do camarada Fagner Torres

“Nunca estudou, foi um militar medíocre, se filiou ao partido do Maluf, viveu da política sem NENHUMA contribuição, elegeu os filhos e a então mulher, o irmão era funcionário fantasma e o patrimônio sempre foi incompatível com a renda. Quem podia imaginar que ele era corrupto?” 

torres, fAGNER

Bolsonaro sempre foi o próprio sistema. Ele é a representação máxima da imensa maioria dos políticos brasileiros. A nossa política institucional não está repleta de Lulas, Serras, Manuelas ou Freixos. A representação política brasileira é o homem medíocre que não faz absolutamente nada por ninguém, a não ser pela própria família, e que passa anos se reelegendo sem nenhuma contribuição para o povo. Basta olhar mais de perto a maioria dos nomes que ocupam as Câmaras Municipais e as Assembleias Legislativas. É uma derrota. 

Leia mais de Lana de Holanda

E como um legítimo representante do sistema, obviamente Bolsonaro é um corrupto. Sempre foi. Por anos ele foi filiado ao PP, o partido mais corrupto do Brasil e que segue sendo a base parlamentar de todos os governos que tivemos desde 1988. 

Escândalos de corrupção milionários em meio à pandemia atingem ainda mais o Regime Bolsonaro

O PP que, inclusive, é o partido de Arthur Lira, que tem dormido profundamente em berço esplêndido, ignorando as centenas de pedidos de impeachment. 

Leia também:
Freixo faz sua segunda jogada, mas não joga sozinho
“Não queremos morrer”. O 29M mostra que o Brasil ainda está vivo

Até quando Lira dormirá diante do caos, da fome, da morte? Até quando Bolsonaro vai conseguir se segurar? Até quando o Exército seguirá sendo linha auxiliar da barbárie? Até quando? 

Ainda não temos essas respostas. Mas temos uma certeza: Bolsonaro é genocida e corrupto.

A partir de R$ 2 por mês, você colabora com a produção de mais conteúdo nas plataformas do Lado B do Rio. Seja Padrim ou apoie no PicPay e conheça as metas e benefícios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest