Ir pra Cuba ou barbárie


O Lado B do Rio, edição 124, foi recheado de interessantes debates sobre a necessidade de superar o capitalismo para criar uma alternativa minimamente possível para lutar contra a acelerada destruição que a humanidade vem causando à Terra.

No programa, tratamos do caso francês de substituição da matriz energética e de outras propostas, mas deixamos um país muito importante de fora desse debate: Cuba.

Sim, um país sem usinas nucleares, de plantio extenso de monocultura canavieira e de tabaco. Porém, mais importante que isso: um país socialista, com uma ordem de valores distinta.

Ouça aqui: Lado B do Rio #124 – Capitalismo x Ecologia (Com Eduardo Sá Barreto)

De acordo com o estudo da Footprint Network, apenas oito nações apresentam valores de sustentabilidade ambiental aliados a condições mínimas de vida. E em todo globo, somente um deles consegue aliar o consumo da parcela que lhe cabe neste planeta com um IDH muito alto. Este país é Cuba.

Miguel Díaz-Canel Bermúdez e Raúl Castro: o presente e o passado da Ilha | Crédito: Adalberto Roque

Não estamos falando de um padrão de vida luxuoso. Cuba é o país mais criminosamente embargado em toda a história da humanidade, mas possui um padrão de vida possível para todos na Terra sem tornar o planeta inabitável para as gerações futuras. E se não houvesse a necessidade de usar petróleo para alimentar suas termelétricas, talvez se pudesse pensar em um padrão ainda mais digno.

Leia também:
Mino Carta e a esquerda vira-lata
No Brasil, jornalismo também rima com racismo

E entre viver em uma sociedade onde “só” saúde, educação e segurança funcionam e a barbárie climática, eu sei qual o lado a escolher.

A partir de R$ 2 mensais, você colabora com a produção de mais conteúdo nas plataformas do Lado B do Rio. Seja Padrim e conheça as metas e benefícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest