Bocardi comprova o óbvio: a Rede Globo tem lado. E não é o nosso

As redes sociais viralizaram, nesta terça-feira (28), a linda resposta do presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Altino de Melo Prazeres Junior, ao apresentador Rodrigo Bocardi, do telejornal SPTV, da Rede Globo. A repercussão foi tamanha que até veículos da mídia empresarial deram espaço ao fato. E o vídeo foi uma curta aula para mostrar que a mídia empresarial tem lado, e tcharam!, não é o lado da classe trabalhadora.

A resposta de Altino à provocação de Rodrigo Bocardi sobre a necessidade da greve cita uma pesquisa publicada pela Oxfam sobre o crescimento do patrimônio dos super-ricos brasileiros durante a pandemia da Covid-19, na casa de centenas de bilhões. Ainda que contestada, a estatística diz o óbvio: não há problema no Brasil que não passe pela extrema desigualdade e o cada vez maior lucro dos mega empresários. E a greve dos metroviários – sem entrar no mérito sobre seu sucesso ou de como foram as negociações – é também consequência disso.

Mas não é só sobre a necessidade do debate da taxação de grandes fortunas, redistribuição de renda e combate à desigualdade – pautas obviamente escondidas ou distorcidas nos veículos de comunicação hegemônicos – que o vídeo de menos de 90 segundos grita. Ele demonstra mais uma vez, como se fosse necessário, que a Rede Globo, bem como toda a mídia hegemônica bancada, gerida e administrada por milionários e bilionários, não tem interesse na manutenção e na ampliação dos direitos dos trabalhadores.

Leia também:
Na pandemia, Bolsonaro é mais letal que a Covid-19
Contra sensacionalismo, projeto quer limitar horário para programas de TV policialescos
Vereador tem pelo menos quatro familiares em cargos comissionados no município

Apesar de óbvio, carece reafirmar. No atual contexto, a emissora dos Marinhos tem sido a melhor opositora a Jair Bolsonaro. Porém, não só ajudou a gestar o monstro, como ainda o alimenta quando deixa claro sua ‘consciência de classe’, vide as matérias elogiosas às “reformas” e à politica econômica de Paulo Guedes que em qualquer Jornal Nacional você assistirá.

O jeito janotinha – homem branco com gel no cabelo, oclinhos de marca e ar de intelectual usando palavras bonitas e firmes – mostra o que Rodrigo Bocardi representa. Mas, na real, isso não interessa. Mesmo que ele votasse no PSOL, tivesse “O Capital” na estante e usasse boné do MST para correr, ali, na posição de apresentador e âncora, Bocardi é a voz do dono. E seu tom na pergunta, totalmente enviesada jogando trabalhador contra trabalhador, esclarece de uma vez por todas que a Rede Globo pode até não gostar das falas, da postura e/ou até mesmo da “pessoa física” Jair Bolsonaro, mas compactua com ele e seu projeto de país no que diz respeito à retirada de direitos dos trabalhadores.

O caráter ideológico, mais do que nunca, tem sido amplamente demostrado por atores políticos. E o jornalismo não tem escapado disso, como não poderia mesmo. Sim, amigos, a Globo tem sua ideologia.

E por isso é importante a gente ressaltar que a emissora é, foi e sempre será inimiga da classe trabalhadora.

“E se de dia a gente briga, à noite a gente se ama” canta Leandro e Leonardo para Bolsonaro e Globo

Encerro o texto com o que tem se tornado um mantra pessoal: consuma, divulgue e apoie a mídia independente e comprometida com os trabalhadores. Precisamos.

2 comentários em “Bocardi comprova o óbvio: a Rede Globo tem lado. E não é o nosso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest