LGBTs não querem sua aceitação, mas exigem seu respeito

Estamos no início do mês de junho, o mês do orgulho LGBT+. A data oficial, onde se celebra esse tal orgulho (que muitos de nós ainda não possuem, infelizmente), é o dia 28, no fim do mês. 

Por uma estranha coincidência, no último fim de semana as redes sociais esquentaram por conta de um vídeo de um pastor bolsonarista, que se dizia contra o casamento entre pessoas do mesmo gênero, mas que supostamente “aceitava”. O vídeo foi compartilhado por famosos como Rafa Kalimann e Caio Castro. 

Nem aceitação, nem tolerância: LGBTs exigem respeito (Duda Dusi/Mídia Ninja)

Foi interessante ver parte do Brasil perceber que Kalimann e Castro possuem muito mais coisas em comum do que a perceptível e gritante falta de talento. O ódio aos LGBTs também é um elo entre o péssimo ator e a vazia apresentadora. 

Leia mais de Lana de Holanda

Importante lembrar aqui que Castro é casado com a atriz (?) Grazi Massafera, que no mês passado se referiu, em TV aberta, a travestis usando termos masculinos.

Mas fico pensando como tudo se repete, o tempo todo. Essas não são as primeiras celebridades que demonstram sua lgbtfobia. Certamente não serão as últimas. Basta soltar um “peço desculpas a quem se sentiu ofendido” e pronto, vida que segue. Não sofrerão nenhum abalo nos seus números de seguidores e nos seus patrocínios. Afinal, são seguidos e patrocinados por pessoas que pensam exatamente da mesma forma. Uma gente rasa, sem pensamento crítico, que aposta no senso comum e na alienação pra sobreviver. 

Leia também:
“Não queremos morrer”. O 29M mostra que o Brasil ainda está vivo

Lembro que no início dos anos 2000 se usava muito a palavra “tolerância” para falar de uma limitadíssima inclusão de LGBTs na sociedade e no debate público. Essa palavra foi caindo em desuso, de uma forma quase natural. Foi se consolidando a ideia de que nós, população LGBT+, não aceitamos migalhas, tampouco estamos dispostas a abrir mão dos nossos direitos. Nós não pedimos mais por aceitação, nós exigimos respeito. 

E todas as pessoas, mesmo as celebridades desprovidas de talento e de intelecto, terão que nos respeitar. Isso não é negociável. 

A partir de R$ 2 por mês, você colabora com a produção de mais conteúdo nas plataformas do Lado B do Rio. Seja Padrim ou apoie no PicPay e conheça as metas e benefícios.

Nota do Editor: a genial foto de capa também é de Duda Dusi/Mídia Ninja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest